sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

CONSECUTIO TEMPORUM


CONSECUTIO TEMPORUM é a Concordância dos Tempos verbais na oração subordinada em subjuntivo, existindo, para isso, regas mais ou menos fixas que ditam em qual tempo deve estar a oração subordinada em subjuntivo em função do tempo da oração principal.

Como já tratamos deste tema aqui (http://topicosdelatinidade.blogspot.com.br/2011/09/video-quid-agas-vejo-o-que-fazes-videbo.html), daremos apenas exemplos da seguinte modalidade:


    Quando o verbo da oração principal estiver no indicativo presente, futuro ou imperativo...

    O verbo da oração subordinada subjuntiva deverá ir para o presente ou para o perfeito do subjuntivo:


PERSUADET Rauracis et Tulingis et Latovicis finitimis, 
                                                                                                uti una cum is PROFICISCANTUR

Persuade aos ráuracos, aos tulingos e aos latóvicos a partirem com eles.


NECESSE EST 
                           huic ut SUBVENIAM 


É necessário que eu venha em auxílio deste.


CURA
           ut VALEAS


Trata de passar bem.


Paulo Barbosa

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

CURSO DE LATIM NO RIO DE JANEIRO - 2016

CURSO DE LATIM

Ofereceremos um Curso de Latim em 2016 no Rio de Janeiro aos interessados em Cultura Clássica. A metodologia proporcionará um aprendizado real baseado na exposição teórica gramatical unida a atividades práticas de leituras, tradução, composição, exercícios e conversação.

Início já em fevereiro, com data a marcar, aos sábados.

Duração de dois anos passando por todos os tópicos essenciais da morfologia e sintaxe.

Mensalidade: R$ 150,00

Ao final será concedido Certificado.

Interessados entrar em contato:

E-mail: paulotomista@yahoo.com.br

Cel.: 21 - 98547-9945 (Oi)

         21 - 98095-6402 (Tim)


segunda-feira, 30 de novembro de 2015

PALAVRÕES EM LATIM

O PALAVRÃO ou aquele grupo de palavras consideradas vulgares e desqualificadas para se usar em meio à sociedade também existia no mundo dos romanos. Vejamos alguns dos "sordidi sermones" usuais na Roma Antiga:

A) Os romanos usavam uns palavrões ou xingamentos comuns, dentre os quais destacam-se estes:

1. CRUDELIS! = cruel! insensível! desumano! tosco! mau! truculento!

2. CRUDELISSIME! = muito cruel! - Insulto empregado contra quem fez algo monstruoso, gravíssimo.

3. PERFIDE! = traidor! enganador! traiçoeiro! falso!

Entre os Romanos a fides significava a credibilidade que alguém adquiria quando cumpria de maneira correta seus compromissos. Este insulto serve para alcunhar o marido ou a esposa infiel, o que sonega a pagar um empréstimo, ao político que não cumpriu suas promessas.

B) Os palavrões latinos que aludem à falta de sensatez, que demonstram a tolice, a insânia do oponente, são:

1. AMENS! = louco! perturbado! demente! doido! alienado! desvairado! insano! - Este insulto se dirige a quem é imprudente.

2. CAUDEX! = estúpido! bruto! burro! asno! - Este palavrão se dirige ao adversário que possui uma cabeça dura, um cérebro de consistência pétrea.

3. FANATICE! = delirante! extravagante! beato! supersticioso! desatinado! - Este é dirigido a quem se fixa num sistema doutrinário qualquer defendendo-o apaixonadamente.

4. IMBECILLIS! IMBECILLE! = fraco, débil, idiota, sem noção, estulto, estúpido, abobalhado. - Empregado contra quem sofre de firmeza intelectual, contra quem possui idade mental infantil. O étimo do termo é In + baculus = sem cajado, sem cetro, para se apoiar. Daí o sentido de fraco.

5. NEQUISSIME! = velhaco! perverso! injusto! corrupto! dissoluto! torpe! imoral! libertino! desregrado/ indolente! fraco! inábil! / tratante! pícaro! maroto! ímprobo! - Usado contra vários vícios e condutas desregradas, desde as de mau pagador até às de sem-vergonha.

6. STIPES! = tolo! simplório! tonto! parvo! pateta! basbaquebabaca! disparatado! - Usado na mesma linha do caudex.

Nota: Tanto caudex quanto stipes são substantivos que têm por acepção primária "tronco de árvore, raiz de árvore, pé de árvore, árvore". Ambos, devido a esta acepção mesmo, foram usados como interjeições insultuosas para denotar a consistência lígnea - dura como a lenha, o tronco da árvore - do cérebro do adversário.

7. STULTE! / STULTISSIME! =  inepto! sem juízo! insensato! sandeu! néscio! presunçoso! ignorante! - Palavrão dirigido a quem perdeu a capacidade normal de raciocinar. 

8. STOLIDE! = sem perspicácia! estólido! estúpido! desarrazoado! irracional! impertinente! inoportuno! molesto! enfadonho! incômodo! simplório! - Insulto dirigido ao adversário que não compreende ou que possui deficiência intelectual que o impossibilita a discorrer, raciocinar, argumentar.

9. STOLO! = fátuo! sem juízo! vaidoso! presunçoso! fugaz! pretensioso! - Usado contra quem se julga melhor que os outros, superior.

Nota: Stolo é um substantivo da área de botânica que tem a acepção primária de pimpolho, renovo, broto, vergôntea, que é a plantinha nova no seu estágio inicial de desenvolvimento, possuidora de um aspecto de fragilidade, fugacidade e, até mesmo, de pretensão, em relação à planta desenvolvida. Daí sua aplicação como interjeição injuriosa.

C) Os palavrões latinos que recorrem à metáforas do mundo animal são:

1. HIRCE! fedido! fedorento! imundo! / luxurioso! carnal! lascivo! - Palavrão dirigido a quem tem cheiro ruim e a quem é dado aos desregramentos sexuais. O termo de injúria provém de hircus = bode.

2. PECUS! = bruto! asno! besta! sem capacidade! estúpido! - Usado contra quem não possui virtude intelectual para receber conhecimentos e ou fornecer argumentos. Vem de pecus = animal doméstico, gado miúdo.

3. SUS! = porco! sujo! imundo! / ignorante! estúpido! - Palavrão que denota o ser sujo e sem capacidade intelectual. Sus, em latim, é porco, porca.

4. VERVEX! = estúpido! árido! pesado! insuportável! excessivo! exagerado! incivil! grosseiro! - Empregado para o desprovido de sensibilidade, educação e bons modos. O termo vervex significa carneiro castrado.

D) Os palavrões latinos que recorrem ao mundo dos insetos e dos batráquios são:

1. BUFO! = burlesco! farsesco! grotesco! cômico! ridículo! caricato! - Empregado para quem faz traquinagens ou provoca riso. Vem de bufo = sapo.

2. CIMEX! = explorador! gigolô! rufião! proxeneta! cafetão! - Usado contra quem vive na dependência de outro. Cimex é o percevejo, parasita que se hospeda em seres humanos.

3. HIRUDO! = sanguessuga! sugador! rapinador! vampiro psíquico! - Usado contra quem extenua, suga, rouba física ou psicologicamente valores dos outros. O nome hirudo é sanguessuga, animal anelídeo que se alimenta do sangue alheio.

E) Os palavrões que censuram costumes sexuais são:

1. CINAEDE! = obsceno! torpe! desonesto! lascivo! descarado! dissoluto! impudico! - Termo injurioso usado contra quem é luxurioso, lascivo, amante de vida sexual promíscua.

2. IMPUDICE! = desonesto! descarado! impudico! torpe! imoral! impudente! desavergonhado! devasso! - Palavrão empregado contra quem é moralmente dissoluto,

3. MENTULA! = cacete! porra! caralho! caramba! - Palavrão usado para expressar surpresa, sofrimento ou insatisfação. Vem de mentula = pênis, membro viril.

4. PATHICE! = torpe! obsceno! procaz! sórdido! soez! - Tem o mesmo uso de cinaede.

5. SPADO  = infértil! eunuco! gay! mole! broxa! impotente! castrado! - Palavrão dirigido a quem não consegue ingurgitar o pênis para manter relação sexual naturalmente.

F) Os palavrões de cunho escatológico ou obsceno são:

1. CACATE!  / CACATOR! = vá cagar! (primeiro termo) / cagão, medroso, fraco. covarde.

2. CUNNUS! = desonesta! prostituta! garota de programa! meretriz! rameira! - Palavrão usado contra as mulheres que oferecem sexo em troca de pagamento.

3. FUTUE TE IPSAM! / FUTUE TE IPSUM! = vá se foder! - É um xingamento para significar dane-se, vá se danar.

4. MERDA! MERDOSE! = merda! bosta! - É uma interjeição que expressa descontentamento.

5. SORDES! = sujo! imundo! esquálido! ignorante! imundo! mesquinho! - Termo usado contra quem é despudorado e ou vive na imoralidade.

G) Os palavrões que servem para desprezar um ser adversário são:

1. PUSILLE! = fraco! tímido! micróbio! acanhado! inseguro! medroso! inibido! - Empregado contra quem não tem disponibilidade e agilidade nas ações.

2. VETULE! =  antiquado! obsoleto! arcaico! anacrônico! ultrapassado! - Usado para quem não acompanhou as tendências da modernidade.

H) Finalmente, os nomes de partes do corpo humano usados como palavrões hoje em dia são:

1. CLUNES = bunda, nádegas, rabo, traseiro, é o nome de ambas partes carnudas e esféricas que ficam acima das coxas.

2. CULUS = cu, ânus, nome do orifício final do intestino. Em latim, intestino é colon, vindo daí culus. Cu, portanto, é o intestino em sua parte terminal. Outro nome é PODEX.

3. CUNNUS = buceta, xoxota, xana, pitrica, ximbica, chavascaxavasca, conas, nome da vulva ou vagina. Daqui o cunilingua, o nome oficial do sexo oral que um homem realiza em uma mulher. Note também que um dos nomes vulgares é conas, provindo de cunnus.

4. MAMMA = peito, teta, mama, seios, úbere, nome da parte do tronco entre o pescoço e o abdome. Outros nomes são: PECTUS / SINUS.

5. MENTULA = caralho, pênis, pica, nome do órgão sexual masculino. Outros nomes latinos são: PENIS / VERETRUM VERPA. Há, também, PHALLUS, nome de origem grega.

Paulo Barbosa

EXPRESSÕES CONSTANTES EM CÉSAR

Caio Júlio César (100 - 44 a.C.), patrício, militar e político romano, autor de duas monumentais obras denominadas Comentarii de Bello Gallico e Comentarii de Bello Civili, empregou algumas expressões constantes que devem ser estudadas por aquele que iniciará uma excursão nas obras deste autor para uma melhor compreensão de seus textos. 

1. FINEM FACERE + GENITIVO = literalmente significa: fazer o fim de, fazer ao final alguma coisa, terminar algo. Analogamente também há a expressão: initium facere + genitivo = fazer o início de.

     "Nec prius finem fugae fecerunt quam se in castra reciperent".

     "E não terminaram a fuga antes de se retirarem do acampamento".


2. REM SUSCIPERE = tomar uma coisa, encarregar-se de alguma coisa. 

     "Itaque rem suscipit et a Sequanis impetrat ut per fines suos Helvetios ire patiantur".

    "Assim, pois, se encarrega disso e conseguem dos séquanos que permitam aos helvécios ir pelos seus territórios"


3. IMPETUM FACERE IN = fazer um ataque contra, atacar.

     "In Helvetios impetum conatus est".

     "Decidiu atacar aos helvécios".


4. QUAM POTUIT reforçado por um superlativo = o mais possível. Muitas vezes o verbo não aparece; quam (potuit).

     "Constituerunt... carrorum quam maximum numerum coemere".

     "Decidiram reunir o maior número possível de carros".

Maximum quam potuit = o máximo que pode...


5. ITINERIBUS MAGNIS = à marchas forçadas, referindo-se ao exército. Junto à expressão costuma aparecer o verbo 'proficiscor = partir, por-se a caminho, fazer jornada' ou outros similares como contendo, eo, vado, gradior.

     "Ipse in Italiam magnis itineribus contendit".

     "Ele mesmo em marchas forçadas se dirigiu para a Itália".


6. CERTUM ALIQUEM FACERE, CERTIOREM ALIQUEM FACERE, CERTUS FIERI, CERTIOR FIERI = fazer alguém mais sabedor, informar a alguém. Pode requerer uma oração subordinada substantiva objetiva direta.

     "Cesar per exploratores certus fit ut hostis non abesse".

     "César foi informado pelos espiões de que o inimigo não estava longe".


7. CONSULE, CONSULIBUS = sendo cônsul, sendo cônsules. São ablativos absolutos que servem para expressar datas de um fato ocorrido. 

     "Is M. Messala et M. Pisone consulibus conjurationem  fecit".

     "Este, sendo cônsules M. Messala e M. Pisão, fez uma revolta".

M. Messala et M. Pisone consulibus = sendo cônsules Messala e Pisão = no ano 61 antes de Cristo.


8DUCE = sendo comandante, sendo chefe. É expressão análoga à anterior, um ablativo absoluto designador de data do fato ocorrido.

     "Omnes Nervii confertissimo agmine duce Boduognato, qui summam imperii tenebat, ad eum locum contenderunt".

     "Todos os nérvios em apertada fila, sendo seu comandante Boduognato, que possuía o mais alto comando, se dirigiram para esse lugar".

Duce Boduognato = no ano 57 a.C.

[OBS: Boduognato foi um comandante dos nérvios, povo gaulês de pujante vigor, derrotado na Batalha do Rio Sambre, em 57 a.C., pelos exércitos de Júlio César].


9. RES FRUMENTARIA = assunto sobre o trigo, provisões de trigo. 

   "Itaque re frumentaria quam celerrime potuit comparata, magnis intineribus ad Ariovistum contendit".

     "E assim preparado o abastecimento de trigo o mais rapidamente possível, se dirigiu à marchas forçadas até Ariovisto".


10. ALIQUEM ALICUI PRAEFICERE = colocar alguém para o camando de outro, estabelecer alguém como chefe de outro.

     "Praeficere legatos legionibus".

     "Colocar tenentes para comandar as legiões"


11. SE RECIPERE + ACUSATIVO = retirar-se a, ir para, tornar, voltar, recolher-se.

     "Recipere se ad ordines suos".

     "Retirar-se para suas fileiras".


12. CUM histórico - quando a conjunção 'cum' vem acompanhada do imperfeito ou mais-que-perfeito do subjuntivo nas obras históricas, visando assim narrar fatos ou acontecimentos.

     "Cum civitas ob eam rem incitata armis ius suum exsequi conaretur"...

     "Quando a cidade por esse fato irritada tentava fazer valer o seu direito pelas armas"


13. UT com valor completivo - quando a conjunção 'ut' introduz oração subordinada substantiva.

     "Sed Pompeius suis praedixerat ut Caesaris imperium exciperent"

     "Mas Pompeu dera ordens aos seus que suportassem os ataques de César"


14. ABLATIVOS ABSOLUTOS - são construções tipicamente latinas formadas por um substantivo no caso ablativo junto com um adjetivo ou particípio no mesmo caso. Estas construções não se referem nem ao sujeito nem ao complemento do verbo da oração principal, ou seja, são independentes dos termos essenciais da oração principal, daí o atributo 'absolutos', independentes.

     "Eo magis quod pridie, superioribus locis occupatis, proelium non commovissent"

    "E principalmente porque na véspera, embora tivessem ocupados os lugares mais elevados, não haviam travado o combate".

Paulo Barbosa

LATIM VISUAL II






Paulo Barbosa

LATIM VISUAL


Aqui uma série de quadros contendo palavras, nomes e verbos, latinas com suas respectivas representações gráficas. Uma forma lúdica de aquisição de vocabulário da língua tuliana.







Paulo Barbosa

terça-feira, 17 de novembro de 2015

CARMINA BURANA

Bura Sancti Benedicti, assim era chamado o hoje Mosteiro Beneditino de Beuren, na Alta Baviera, onde no ano de 1803 foi encontrada uma coleção de mais de 240 textos de música dos séculos XI e XIII. São canções compostas por vagantes ou andarilhos que naquelas épocas pertenciam ao grupo de estudantes e clérigos num latim tipicamente medieval e popular.

Esta coleção musical foi editada para publicação pelo linguista Schmeller, quando, então, passou a ser intitulada de:

CARMINA BURANA
CANÇÕES DE BEUREN

No século XX, entretanto, Carl Orff, compositor alemão dos mais eruditos do século, musicou algumas das canções da coleção produzindo, assim, uma cantata dramática e que pode ser acessada aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=QEllLECo4OM

Paulo Barbosa